Log in
Associação pela Saúde da Próstata
789 members380 posts

MEU RELATO

Bom dia!

Fui submetido a prostatectomia radical aberta em julho de 2018. Tenho 55 anos e a opção pela técnica, após muita pesquisa, foi em função da experiência do cirurgião. Com relação a incontinência, foi mínima, porém até hoje ainda sinto ameaça de escapar bem pouquinho, mas dá para segurar, além de diversas idas ao banheiro para, em algumas oportunidades, sair pouca urina. Porém, em momento algum foi necessário utilizar qualquer absorvente.

Após quase 6 meses, ainda não tive nenhuma ereção espontânea e a induzida não é suficiente para uma penetração. Após um mês do procedimento cirúrgico, foi prescrito o Viagra de 100 mg, duas vezes por semana. Após três meses utilizando o Viagra, foi prescrito o Cialis Diário 5 mg, na tentativa de incrementar a atividade sexual. Contudo, ainda não houve uma resposta satisfatória e se eu pudesse estabelecer uma escala de 0 a 10, nunca passou de 5. E esse auge, sem conseguir manter a rigidez prolongada, é atingido no momento do orgasmo.

Na realidade, nos meses em que ingeri o Viagra, parecia que a rigidez, mesmo que pouca, era maior do que agora. Inclusive, atualmente, não sei se é uma questão psicológica, mas parece que o pênis está um pouco atrofiado.

Para completar o quadro, não sei se alguém por aqui do grupo, também teve tal experiência, com aproximadamente 4 meses do pós cirúrgico, meus pés e tornozelos passaram a apresentar edemas. O inchaço costuma ser maior em um dos membros. Após diversos exames específicos, nada de grave foi detectado, porém estou utilizando meias especiais. Jamais tive tal problema antes da cirurgia e acredito que possa ser em função das retiradas dos linfonodos.

Enfim, este é o meu relato e se alguém quiser fazer algum comentário, eu agradeço.

Desejo a todos muito sucesso nos seus respectivos tratamentos!

28 Replies
oldestnewest

Amigo, tenho 56 anos, operei em 12/2018 e já retornei ao trabalho. A incontinência está como você falou - quase normal, escapam poucas gostas eventualmente. Quanto a ereção, nessa tua escala de 0 a 10, considero que estou em 3; ou seja, sinto que está evoluindo, mas pelo jeito o processo será bem lento. Tomo Cialis 5 mg todos os dias (fiz o convêncio do site da Lilly). Aguardarei 1 ano e em paralelo começarei a pesquisar sobre próteses - caso seja necessário. Aliás, gostaria de saber se o pessoal aqui já tem detalhes e informações sobre próteses: tipos, custos, procedimentos cirúrgicos, eficácia etc. Farei o primeiro PSA em 15 dias. Estou confiante e muito feliz com todos os resultados, acredito que me livrei do câncer e nada substitui a alegria de estar vivo. Incluirei vc em minhas orações. Ao dispor - zap - 011-983327907 - Sidney

Reply

Bom dia, prezado Sidney!

A sua cirurgia é muito recente e vamos torcer para tudo caminhar da melhor maneira possível. No tocante a disfunção erétil, o organismo de cada um de nós responde de uma forma e, vários fatores influenciam para a melhora do quadro, dentre eles, a sua idade lhe favorece. Você poderá até fazer pesquisas a respeito da prótese, mas é muito precoce tal preocupação. O seu urologista é a pessoa mais indicada para lhe aconselhar a respeito de prazo, caso haja a necessidade. Estar confiante e muito feliz com os resultados também ajudará na continuidade da sua recuperação. O resultado do PSA, se Deus quiser, será incluso na sua alegria. Estou na sua torcida!

Orações são sempre bem-vindas, obrigado por me incluir nas suas e também incluirei você nas minhas.

Um forte abraço

Reply

Olá Odnan, tenho 48 anos e fiz também a cirurgia aberta em novembro de 2017 em SP, igual a você optei por um cirurgião muito experiente, depois de pesquisar por Braquiterapia e cirurgia robótica.

Em relação a incontinência não tive nenhum problema, também não usei nenhum tipo de absorvente desde a retirada da sonda.

Comecei a ter relações com 22 dias depois da cirurgia, mais como estimulo, e só consegui rigidez para penetração após 3 meses da cirurgia tomando Cialis 20 mg dia sim dia não, o Viagra me dava dor de cabeça.

A evolução na parte sexual vem gradativamente melhorando, com oito meses passei a tomar o Cialis apenas uma vez por semana, e venho mantendo uma ereção satisfatória para qualquer momento que eu queira transar, quando acho necessário uso o Viagra 100 para ajudar na performance.

Também percebi que meu pênis ficou uns 2 cm menor do que era antes da cirurgia.

Quanto ao inchaço nas pernas, não tive nenhum problema, caminhei desde o segundo dia após a cirurgia por orientação médica e no quarto mês voltei a praticar Judo.

Qualquer coisa, estou a disposição.

Desejo sucesso na sua recuperação.

Abraço

Reply

Olá, edujf!

Primeiramente, muito obrigado pelo comentário. Eu vinha lendo as postagens no site, há algum dias, porém estava um pouco reticente em expor a minha situação com receio de desanimar quem estivesse com histórico cirúrgico recente. Mas essa troca de experiência é muito importante e temos que levar em consideração que o organismo de cada um tem a sua resposta para os eventos a que é submetido. A sua história, graças a Deus, é de sucesso, parabéns!

Eu também sentia dor de cabeça assim que comecei a ingerir o Viagra (30 dias após a cirurgia), porém com a sequência ela (dor) já não acontecia. Após três meses, o cirurgião prescreveu o Cialis Diário de 5 mg para incrementar a parte sexual. O fato é que não senti diferença de estimulo utilizando um ou outro medicamento. Até a presente data, 10/01/18, não tive nenhuma ereção espontânea (aquela quando acordamos na madrugada ou pela manhã. E com você, já aconteceu?). Mas não estou desanimado com a minha situação e acredito que a ereção satisfatória virá a qualquer momento!

No dia seguinte ao da cirurgia eu também já estava andando nos corredores do hospital e atualmente caminho na esteira elétrica, pelo menos em 4 dias na semana. Porém, mesmo com atividade física regular percebi, em novembro, o edema nos pés e tornozelos e os exames solicitados pelo urologista e pelo cirurgião vascular nada indicaram de grave. Ainda me submeterei a mais um exame na próxima semana. Qual a relação com a cirurgia? Não faço a mínima ideia! O fato é que jamais havia acontecido comigo antes.

Com relação ao PSA, dois meses após o evento cirúrgico, o resultado foi inferior ao limite de detecção, GRAÇAS A DEUS!

Mais uma vez, parabéns, muito obrigado e forte abraço.

Vamos nos falando...

Reply

A verdade é que nunca mais vai ser como antes da cirurgia, mas não quer dizer que será pior, temos que nos adaptar a essa nova realidade.

Ereção espontânea é muito difícil acontecer, mas acontece bem de vez em quando.

Esse é um fato que percebi e esqueci de relatar, o ato sexual no meu caso, depende de bastante estimulo para acontecer, é tipo carro a álcool antigamente, demora a pegar, mais depois vai que é uma beleza. rsrsrsrs

Reply

Claro, temos que viver a nova realidade e olhar para frente!

Obrigado pela resposta.

Forte abraço

Reply

Amigo faço do seu depoimento as minhas palavras, estou na mesma condição que vc, fiz a operação por robô, no primeiro mês até tive penetração, mas parece que no momento a ereção esta pior que antes, eu estava usando viagra genérico de um laboratório que depois meu médico disso que não era tão bom, mudei para o viara original e melhorou um pouco, mas ainda é pouco para uma penetração, parece que a sensação no pênis diminui um pouco e o fato de não ejacular dificultou tudo, operei em 12/02/2018, poderiamos criar um grupo no wats parece que aqui somos semelhantes em termos de resultados pós cirúrgico, segue o meu 12 9 9188-0782.

Reply

Bom dia, Wcoelho !

Pois é, mudam los endereços, contudo os históricos são parecidos. Na realidade, assim penso eu, não somos bem preparados para tudo que envolve a doença, incluindo o pós cirúrgico, quando recebemos o resultado do mal que nos atinge. Para o cirurgião, cada caso é mais um caso, e não quero ser leviano em dizer com isso que não são solidários conosco. Lidam com isso todos os dias. São sim, solidários, carinhosos, atenciosos. Mas, para quem recebe a notícia de que é acometido de um câncer, uma palavra que traz em sua essência uma ideia de finitude, é como se uma bomba estivesse preparada para explodir dentro de nós. Ficamos tão desesperados; tão sensíveis e começamos a aceitar argumentos ( às vezes até em respostas para as perguntas que nós mesmos nos fazemos ) compensatórios, tipo: você não ejaculará mais, porém estará livre do câncer!

Você poderá sofrer com disfunção erétil, porém existem remédios, injeções, próteses!

Poderá ter problemas de incontinência urinária, que poderá ser grave, mas também poderá ser branda!

O percentual de cura para a doença é X, o de disfunção e Y, o de incontinência é Z. Caso os resultados nos sejam favoráveis, parabéns para nós! Do contrário, infelizmente você fez parte do percentual de insucesso!

É óbvio que, se somos portadores de uma doença tão grave e o procedimento cirúrgico for um sucesso, temos que agradecer, e muito, pela cura; pela vida. Mas, acho que deveríamos ter um acompanhamento psicológico, automaticamente incluído no tratamento pré e pós operatório. Claro que podemos buscar esse tratamento por conta própria, mas pela gravidade, pelas possíveis sequelas, deveria fazer parte do contexto.

Estou na torcida pela sua recuperação!

Um abraço

Reply

Odnan, concordo plenamente com você, sinto as mesmas dificuldades, e olha que minha esposa vem sendo uma grande parceira depois do diagnostico e cirurgia, e isso tem sido fundamental para minha recuperação.

Mas o fato é que realmente não somos bem preparados para lidar com essa doença, mesmo com grandes chances de cura.

Parece que as historias dos médicos sempre se repetem, o mais importante é a cura, depois a incontinência, e por ultimo a ereção, isso depois eles acham que vão dar um jeito, mas as mudanças provocam um sentimento de perda, e eles não falam nunca. Até entendo, que para algumas pessoas, se eles falarem do real risco, o paciente pode ficar inseguro a ponto de não querer se tratar, mas eu particularmente prefiro a verdade sempre.

Culturalmente somos preparados para exercer nossa virilidade desde novo, e quando confrontamos com essa realidade da doença, que primeiro nos trás medo da morte, e depois acaba deixando sequelas, mesmo que psicológicas, não temos muitas referencias para discutir sobre o assunto.

Esse canal tem sido de grande utilidade para mim, entendo que cada individuo tem uma maneira de enfrentar a doença, claro que por instinto tentamos sobreviver da melhor forma, por isso respeito as opiniões aqui colocadas. Sempre me coloco a disposição para ajudar de alguma forma qualquer pessoa que esteja passando por essa situação.

Reply

Olá Wcoelho, participo de um grupo com vários homens (tem quase 30 membros no grupo) que fizeram cirurgia de próstata, se quiser posso pedir para incluir você no grupo.

Reply

Bom dia me add no grupo tambem 37 991042103

Reply

Tambem gostaria de fazer parte do grupo (85) 991390602 PAULO RICARDO

Reply

Ok, já pedi para adicioná-lo. Abraço

Reply

Boa noite! Tenho interesse em participar do grupo (84) 99112-6598. Grato

Reply

Ok, vou te chamar no privado.

Reply

bom dia me adiciona no grupo também (19) 98819-7589 - Alcides

Reply

Olá Wcoelho, participo de um grupo com vários homens (tem quase 30 membros no grupo) que fizeram cirurgia de próstata, se quiser posso pedir para incluir você no grupo.

Reply

Boa tarde favor incluir no grupo. Grato 51 982649929

Reply

Muito boa a idéia de criarmos um grupo de WarZ. Caso criem por favor me incluam 11 983327907

Reply

Participo de um grupo com vários homens (tem quase 30 membros no grupo) que fizeram cirurgia de próstata, se quiser posso pedir para incluir você no grupo.

Reply

Agradeço amigo. Pode sim.

Reply

Olá Odnan55, tenho 55 anos e também passei pela cirurgia igual a sua em agosto/ 2017, quanto a incontinência não tive muitos problemas. Já com a ereção infelizmente não tive sucesso, mesmo tomando tadalafila diária de 5mg, tive contra indicação com muitas dores de cabeça e nas juntas aí optei por parar o medicamento. Estive com o médico relatando o ocorrido e ele me indicou a prótese, só que ainda não resolvi colocar. Já faz 1 ano e 5 meses da cirurgia e continua a mesma situação. Se alguém que já passou ou está passando por esta situação, gostaria muito de conversar. Meu zap 74 99143 2108 Francisco.

Reply

Bom dia, prezado Francisco!

Pois é, as histórias e idades dos acometidos pela doença são muito parecidas. Eu também sentia muita dor de cabeça com a ingestão do Viagra, porém, com o uso contínuo o problema desapareceu. Com relação a prótese, tenho lido (Dr. Google), e o urologista também comentou que, se os nervos que permitem as ereções foram preservados durante a prostatectomia, a possibilidade de ter novamente as ereções espontâneas pode levar até 2 anos. Devemos considerar, também, que cada organismo pode responder de uma forma. O fato é que a nossa realidade, no que se refere as ereções, após o procedimento cirúrgico, pode diferir do nosso desejo e isso também pode gerar ansiedade e consequentemente atrapalhar a recuperação. Tenha paciência e fé!

Estou torcendo pela sua recuperação.

Forte abraço

Reply

Bom dia amigo. Você ja teve informações sobre os profissionais serios tipos de proteses, valores etc? Meu zap 11.983327907 Sidney

Reply

Meu prezado, eu fiz a PR também, e a disfunção é uma realidade principalmente no inicio do pos cirurgico. Fiz uso de Cialis diario, e uso do viagra após 2 meses de cirurgia, mas sem muita resposta, me desesperei pois sou considerado um paciente jovem com 44 anos, casado e com vida ativa, e meu casamento não suportou esse momento. Pedi aos médicos uma ajuda mais imediata e me foi indicado o uso da iNjeção intracavernosa TRIMIX , com essa medicação tenho ereção nota 10 por até 2 horas. Não usei em todas as relações para testar a ereção sem medicação, já que com a injeção vc não tem opção ( a ereção realmente acontece). Por fim meu casamento não resistiu me separei, e desde então tenho vivido outras experiencias com outras mulheres , e te digo, não usei mais a injeção, me sinto cada dia mais seguro e com ereções mais demoradas, longe do que eu era antes do CA, mas satisfatorio para mim por enquanto. Tenho esperanças de que voltarei a normalidade em breve, Importante tambem cuidar do psicologico, eu faço psicoterapia e atividades que e deem prazer para não pirar pensando no "problema", tem funcionado. Em relação ao Cialis, eu tenho uma resposta melhor com o TADALAFILA 20MG, ele tem efeito por 3 dias , sugiro vc experimentar, tome de estomago vazio e de preferencia a noite antes do jantar umas 2 horas e não jante depois de toma lo , pois aumentara as chances de vc ter a tal ereção noturna , além de te preparar para o ato com a parceira na hora de dormir. Boa sorte, e uma braço !!

Reply

Caríssimo Paulo,

Você tem 44 anos , é muito jovem e, pelo relato, já possui certa experiência do pós-operatório. Significa que a sua cirurgia aconteceu já há algum tempo! Quando? É assustador o problema surgir tão cedo, se considerarmos, inclusive (pelo que lemos) que é "recomendado" que os exames preventivos (PSA e toque retal) sejam realizados a partir dos 50 anos ou, dos 45 para aqueles com risco mais alto: histórico familiar ( pai, irmão, tio) de diagnóstico de câncer de próstata. O que você sentia e que o levou a se submeter aos exames? Começou com que idade?

Eu iniciei o uso do Viagra (100 mg), duas vezes por semana a partir de 30 dias da cirurgia e o Cialis Diário (5 mg) entrou na rotina depois de três meses. Após seis meses do procedimento, ainda não tive uma resposta (ereção) satisfatória que fosse suficiente para uma penetração. É óbvio que fico com certa expectativa que meu "companheiro de tantas emoções de outrora" desperte do sono profundo e, às vezes quando acordo, na madrugada para ir a o banheiro, automaticamente me pego levando a mão para sentir se o volume aumentou (a famosa ereção do sono REM) e, no meu solilóquio digo: ainda não foi dessa vez!. Mas, não estou ansioso, ansioso... Acredito que a qualquer momento terei uma melhor resposta. O Cialis Diário eu tomo após o café da manhã. Já experimentei o de 20, porém, para efeito de comparação, o Viagra de 100 me dá uma melhor resposta. Cada organismo responde de uma forma!...

Tenho um pouco de receio de utilizar a injeção. Além da possível dor, a hipótese de priapismo, fibrose ou ainda de aplicá-la no al errado e causar inchaço.

Como escrevi acima, em outra postagem, os meus pés tem apresentado inchaço, e percebi o problema após alguns meses do procedimento cirúrgico e jamais havia tido tal reação anteriormente. Fico pensando que possa ser em virtude da retirada dos vários linfonodos. Tenho sentido, ainda, zumbidos constantes nos ouvidos, que também podem representar efeitos colaterais dos medicamentos (Cialis?, Viagra?, ambos?).

Quanto ao casamento desfeito, é lamentável. Já li a respeito de outro que terminou em função desta doença, e também história de homem que se separou da esposa em função dela ser portadora de câncer de mama. E o tal do na alegria, na tristeza, na saúde, na doença?...

Graças a Deus, neste tocante, eu tenho que agradecer : aqui em casa tive apoio em todos os momentos, desde o diagnóstico. Ouço (e sinto) que o mais importante foi ter descoberto a tempo da cura e o envolvimento na tentativa de uma melhor resposta é constante.

Sim, o equilíbrio emocional é extremamente importante para ajudar a superar este momento delicado das nossas vidas e me parece que, pelas suas palavras, você está bem!

Agradeço imensamente o seu contato. Um forte abraço e muito sucesso na sua recuperação!

1 like
Reply

Meu prezado, eu operei em 12/17. E descobri por acaso. Não tenho historico familiar. Eu apresentei um sintoma, a disfunção erétil, de forma súbita comecei a perder a ereção durante o ato sexual, Isso me levou ao consultório para realizar os exames de sangue sobre testosterona, hormonios, e o psa. A unica alteração veio no PSA, deu, 4,8 e com relação do total/livre de 7%. A partir daí começou a saga investigativa com novos exames em laboratorios diferentes, fiz ressonancia que sinalizou a doença, o toque deu normal por 2 vezes, e a biópsica fechou o diagnostico positivo com gleason6, mais de 50% das amostras positivas e algumas com até 70% encontrado, concluindo estar todo do lado direito e metade do lado esquerdo. A unica e melhor opção foi realizar a cirurgia , e optei pela robótica.

Sobre o uso injetável quero te dizer que não há risco se vc seguir a orientação médica. Eu fui consulta , decidimos tentar o injetavel, e a conduta foi a seguinte: o medico faz um treinamento com vc em consultorio, aplica algumas vezes para ajustar a dose correta que não ofereça risco, ou seja, vc nao pode ter ereção prolongada por mais de 2horas e nem dolorida, então na fase de ajuste de dose , vc toma a medicação na clinica e aguarda lá com ereção até a medicação perder o efeito, em caso de algum problema, o medico tem o antidoto que faz cessar efeito na hora . Comigo ele fez uma vez , pq eu tive resposta com uma dosagem muito baixa, em torno de 3 unidades como eles chamam. Então ele me fez auto aplicar para ver se entendi corretamente, e me orientou a usar algumas vezes sozinho para treinar e evitar nervosismo tipico da situação. Eu não tive dor pela aplicação, nem durante o ato, e nem depois do ato sexual nenhuma vez. Apliquei errado algumas vezes, e nao tive o efeito esperado, e a recomendação é não reaplicar, e somente realizar um novo uso 24 horas depois. o risco de fibrose ? não creio pq a aplicação se dá no corpo cavernoso, na lateral do penis, longe de qualquer veia, longe da uretra, portanto há um local especifico. Inchaço: tambem nunca ocorreu. A agulha é super fina, e não dói realmente, meu trauma maior sempre foi o ato de aplica (rsrsrs) , toda vez que fiz com pena injetei errado. Então tem que ser sem pena, mira o local e páh ! Ae dá certo e o sucesso é garantido , ereção nota 10 , satisfação garantida, mas a mulher pode sentir falta do romantismo, pois elas querem que o penis "suba" para elas e não por medicação. Foi isso que fez naufragar a minha relação, claro , entre outras coisas .

sobre o seu horario do remedio, sugiro alterar para a tarde ou a noite , e de estomago vazio, foi a recomendação que tive do meu medico, e notei de fato diferença da ação no organismo.

Não tive respostas com o Viagra, mas tenho com o Tada de 20mg.

Tenho uma resposta excelente com sexo oral, nem preciso de medicação alguma, mas no ato ainda volto a ter queda da ereção com algumas parceiras, mas já tive sucesso com outras tambem. A vantagem hoje de estar solteiro me permite experimentar coisas novas sem julgamento ou pressão por desempenho, se deu certo beleza, se não deu, beleza tambem.

Fico a disposição , caso tenha mais alguma dúvida; meu email: pauloric.araujo73@hotmail.com

Reply

Caro, meu marido tem 56 anos e fez um ano de operado no dia 23/01. Foi um caminho. Muita fisioterapia, uso do Uroflex q é um aparelho de fisioterapia, uso do Viagra 3x por semana e atualmente do Tada dia sim, dia não, às vezes, 1 vez por semana... A boa notícia é q a ereção voltou normalmente. A incontinência ainda tem alguma, certa de 98% ok. Temos relações normalmente, como antes. Foi um caminho. Brincamos muito. Buscamos maneiras de nos estimularmos. Enfim, tem solução. O importante é estar vivo e bem. Meu pai por se recusar a fazer o q tinha q ser feito, sofre há 6 anos na cama. Teve metástase óssea na coluna. É tetraplégico. Fique bem. Está no caminho certo. Um abraço!

Reply

You may also like...