NEJM: Liraglutide no manejo do peso corporal

Um estudo randomizado, controlado, comparou o uso de Liraglutide (3,0 mg) ao uso de placebo no manejo do peso corporal em pacientes com sobrepeso ou obesos. O Liraglutide foi associado a uma perda de peso clinicamente significativa, a uma diminuição da glicemia e de fatores de risco, melhorando a qualidade de vida. A pesquisa foi publicada pelo The New England Journal of Medicine (NEJM).

O GLP-1 (Glucagon-Like Peptide-1) é um hormônio produzido no intestino, na presença de alimentos. Entre outras funções, ele estimula a produção e a secreção do hormônio insulina pelo pâncreas. O Liraglutide é um agonista do receptor GLP-1. Além de estimular a ação da insulina ele diminui a motilidade gástrica, aumentando a sensação de saciedade com uma quantidade menor de alimentos ingeridos.

A obesidade é uma doença crônica com graves consequências para a saúde, mas a perda de peso é difícil de ser mantida através de uma intervenção feita somente no estilo de vida. O Liraglutide, um análogo do GLP-1, tem demonstrado benefício potencial para o controle de peso com uma dose única diária de 3,0 mg, por via subcutânea.

Foi realizado um estudo de 56 semanas, duplo-cego, envolvendo 3.731 pacientes que não tinham diabetes tipo 2 e que tinham um índice de massa corporal (IMC) de pelo menos 30 ou um IMC de pelo menos 27 e tivessem tratado ou não tratado dislipidemia ou hipertensão arterial. Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente numa proporção de 2:1 para receber injeções subcutâneas diárias de Liraglutide na dose de 3,0 mg (2.487 pacientes) ou placebo (1.244 pacientes). Ambos os grupos receberam aconselhamento sobre modificação de estilo de vida. Os resultados finais foram alteração no peso corporal e proporção de doentes com perda de pelo menos 5% ou mais de 10% do seu peso corporal inicial.

No início do estudo, a média de idade (± DP) dos pacientes foi de 45,1 ±12,0 anos; o peso médio foi de 106,2 ±21,4 kg e a média de IMC foi de 38,3± 6,4; um total de 78,5% dos pacientes eram mulheres e 61,2% tinham pré-diabetes. Na 56ª semana, os pacientes no grupo Liraglutide tinham perdido uma média de 8,4 ±7,3 kg de peso corporal e os do grupo placebo tinham perdido uma média de 2,8 ±6,5 kg (uma diferença de -5,6 kg; intervalo de confiança de 95%, -6,0 a -5,1; P<0,001). Um total de 63,2% dos pacientes no grupo Liraglutide em comparação com 27,1% no grupo placebo perdeu pelo menos 5% do seu peso corporal (P<0,001); 33,1% e 10,6%, respectivamente, perdeu mais de 10% do seu peso corporal (P<0,001). Os eventos adversos mais frequentemente relatados com o Liraglutide foram náuseas e diarreia leve ou moderada. Eventos graves ocorreram em 6,2% dos pacientes no grupo Liraglutide e em 5,0% dos pacientes no grupo placebo.

Neste estudo, o uso de 3,0 mg de Liraglutide como adjuvante da dieta e dos exercícios físicos, foi associado a uma redução importante do peso corporal e a um melhor controle metabólico.

Fonte: The New England Journal of Medicine, volume 373, número 1, de 2 de julho de 2015

oldestnewest

You may also like...