ADA: Edições de novos padrões de tratamento médico para o Diabetes

Fonte: diabetesincontrol / Padrões de assistência médica em Diabetes-2015: Sumário das revisões.

Autor: Richard W. Grant, MD, MPH e colaboradores

As mudanças incluem um novo padrão de glicemia em crianças e adolescentes; um limiar menor para avaliação do IMC para os americanos asiáticos; e novas recomendações sobre o uso de estatina baseadas na condição de risco ...

Os pesquisadores revisaram os padrões de cuidados médicos em Diabetes para 2015 , concentrando-se em revisões de recomendações para a prática clínica.

Os pesquisadores recomendam que todos os indivíduos, incluindo aqueles com diabetes, devam ser encorajados a limitar o período de tempo de sedentarismo através da quebra de um longo período de tempo (mais de 90 minutos) de permanência sentados.

A comissão também recomenda que as pessoas com diabetes devam fazer treinamento de resistência física, pelo menos, duas vezes por semana, a menos que não possam faze-lo por outras razões médicas.

As metas de glicemia pré prandial foram revistas para refletir novos valores com uma nova meta entre 80-130 mg / dL.

Com relação à doença cardiovascular e de administração de risco, a meta recomendada para a pressão arterial diastólica foi alterada para 80-90 mm Hg para a maioria das pessoas com diabetes e hipertensão.

Recomendações para o tratamento com estatinas e monitoramento de lipídios foram alterados; o início do tratamento e a dose inicial de estatina agora são recomendados principalmente com base na condição de risco.

Estes novos padrões buscam alinhar a associação ( ADA ) com o American College of Cardiology e a American Heart Association, que também recomendam dar estatinas em doses baixas ou altas para todas as pessoas com risco de doença cardíaca, incluindo as pessoas com diabetes.

Baseado nas novas recomendações,as diretrizes de monitoramento lipídico sugerem uma triagem do perfil lipídico dos diabeticos ,em uma avaliação médica inicial, e / ou com a idade de 40 anos, e depois periodicamente.

Richard W. Grant, MD, MPH, um pesquisador cientista na Kaiser Permanent Division of Research and chair of the ADA's Professional Practice Committee , disse em um comunicado:

"A grande mudança aqui é recomendar o início do tratamento com estatinas em doses moderadas ou altas , baseado no perfil de risco do paciente em vez de se basear no nível da lipoproteína de baixa densidade"

"Acontece que os pacientes com diabetes têm o mesmo risco que as pessoas com doença cardíaca, por isso todos os nossos pacientes precisam tomar estatinas", disse ele.

No entanto, Grant afirmou que algumas pessoas com diabetes podem não precisar de estatinas. Estas, incluem os pacientes mais jovens, saudáveis ​​e pacientes muito idosos que têm outras condições médicas que reduzem sua expectativa de vida.

Grant também afirma que a doença cardíaca é a causa número 1 de morte das pessoas com diabetes.

As pessoas com diabetes tem de duas a quatro vezes mais chances de ter um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral do que as pessoas sem diabetes, disse ele.

De acordo com Grant, o aumento do risco de doença cardíaca em pessoas com diabetes é o que estava por trás da lógica para as recomendações deste ano sobre as estatinas, pressão arterial e atividade física.

"Nos velhos tempos, todos nós pensávamos no açúcar, e atualmente reconhecemos que a principal causa de morte no diabetes é a doença cardíaca".

"Você tem que ser agressivo no controle dos riscos"

As orientações para as pessoas com diabetes também incluem:

1. Um novo padrão de glicemia em crianças e adolescentes - um valor de A1C hemoglobina menor que 7,5 .

2. Uma declaração de que os cigarros eletrônicos não são uma alternativa para as pessoas fumarem ou mesmo uma maneira de ajudar os fumantes a pararem de fumar

3. A recomendação para que pessoas com 65 anos ou mais recebam a vacina contra pneumonia em duas doses separadas - uma dose da PCV13 (Prevenar), e um ano após uma dose da PPSV23 (Pneumovax).

4. Reduzir para o valor de 23 como o limiar do IMC no controle da população asiático-americanos para o diabetes.Um valor de IMC de 25 é o que é geralmente considerado como excesso de peso, de acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças, mas os asiáticos têm um risco aumentado de desenvolver diabetes com um IMC mais baixo, de acordo com a ADA.

5. Pacientes com problemas nos pés ,deformidades , ou uma história de úlceras nos pés devem ter seus pés examinados a cada consulta.

Pontos Relevantes :

1. A meta recomendada para a pressão arterial diastólica foi alterada para 80-90 mm Hg para a maioria das pessoas com diabetes e hipertensão.

2. A ADA recomenda agora uma meta de glicemia preprandial de 80-130 mg / dL, em vez de 70-130 mg / dL, para melhor refletir os novos dados comparando os níveis de glicemias médias reais com as metas de A1C.

3. O início do tratamento (e dose inicial de estatina) agora é impulsionada principalmente pelo nível de risco, em vez do nível de colesterol LDL.

oldestnewest

You may also like...