Cirurgia da próstata: quando ela deve ser feita?

Cirurgia da próstata: quando ela deve ser feita?

Fonte: abc.med.br > Saúde do Homem

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

As notas a seguir são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

O que é a próstata?

A próstata é uma glândula reprodutiva masculina que produz o fluido que carrega o esperma, situada na base da bexiga. Ela envolve a uretra, tubo final de excreção da urina, que passa por dentro dela. A próstata cresce bastante com o passar da idade, podendo atingir várias vezes seu tamanho inicial. Esse crescimento geralmente causa problemas urinários aos idosos. Quando essa glândula apenas cresce e não sofre mutação nas suas células fala-se de hiperplasia benigna da próstata. Se a próstata cresce para fora, sem comprimir a uretra, não gera sintomas. A glândula também cresce no câncer da próstata, mas nestes casos formam-se nódulos que podem ser notados pelo urologista por meio do toque retal. A incidência do câncer de próstata aumenta muito com a progressão da idade (13% aos 60 anos, 45% aos 80 anos e 100% aos 100 anos).

Quando se deve fazer a cirurgia da próstata?

Consideremos um paciente com hiperplasia benigna da próstata. Nesses casos, a opinião do paciente é muito importante porque ela não ameaça a sua vida, mas o seu conforto, e só exige cirurgia quando as consequências que acarreta se tornam muito incomodativas ou comprometem demais a qualidade de vida da pessoa. A principal consequência dela é que aumenta muito a frequência com que a pessoa tem de urinar, ocasiona alguma dificuldade de urinar, diminui muito a força do jato urinário e a quantidade de urina eliminada a cada vez. Esses sintomas são muito incomodativos, sobretudo à noite, acordando o paciente por diversas vezes durante o sono. Enquanto os sintomas forem menos intensos e não forem sentidos como um incômodo muito grande, a cirurgia não deve ser feita. Algumas medicações, como a finasterida, por exemplo, podem diminuir um pouco o tamanho da próstata. Os bloqueadores alfa-adrenérgicos podem abrir o canal da uretra e por vezes aliviar os sintomas, fazendo com que os pacientes passem a urinar melhor.

Como se processa a cirurgia da próstata?

Nos casos de hiperplasia benigna da próstata a cirurgia é feita por via uretral e chamada de ressecção transuretral de próstata. O cirurgião introduz através da uretra um endoscópio (fino tubo contendo uma câmera de TV na sua extremidade) e retira a porção do tecido prostático que a esteja comprimido. O paciente pode deixar o hospital depois de dois dias, após retirar a sonda que foi colocada na sua uretra, mas no mesmo dia já pode assentar-se e ver televisão, por exemplo. Os receios dos pacientes de que essa cirurgia possa causar impotência sexual e incontinência urinária não têm muito fundamento e ela, na verdade, quase nunca chega a prejudicar a função sexual nem a micção. Recentemente, têm sido tentados outros métodos alternativos para solucionar os problemas causados pela hiperplasia benigna da próstata, como a crioterapia, a aplicação de raios laser e a infiltração da glândula com álcool absoluto, etc., mas essas técnicas ainda não têm um uso extensivo.

Nos casos de câncer de próstata, deve-se procurar saber se o tumor se localiza dentro ou fora da glândula, porque isso fará diferença no tratamento. Se ele é interno pode-se fazer cirurgia, radioterapia ou braquiterapia. Se externo, pode ser tratado com hormônios e optar-se por fazer ou não cirurgia e radioterapia. A cirurgia para o caso - prostatectomia aberta - pode ser feita com anestesia geral ou espinhal e consiste da retirada da próstata, e com ela, do tumor, por meio de uma incisão feita abaixo do umbigo ou no períneo. Nesse caso, o paciente permanece no hospital por quatro ou cinco dias, pelo menos. A radioterapia consiste na aplicação diária, durante seis a sete semanas, de um feixe concentrado de irradiação. É um tratamento mais simples do que a cirurgia, mas os resultados podem não ser tão radicais. A braquiterapia é uma modalidade de radioterapia. Consiste na colocação de agulhas na próstata do paciente, através das quais são implantadas sementes radioativas dentro da glândula.

Como evolui a cirurgia da próstata?

A cirurgia de hiperplasia benigna da próstata geralmente é bem sucedida e definitiva e quase nunca ocorrem complicações.

As recidivas e a necessidade de uma nova cirurgia apenas ocorrem em 4 a 5% dos casos.

A cirurgia de hiperplasia benigna da próstata é segura.

No caso de câncer da próstata, a cirurgia é o método que oferece melhores porcentagens de cura, apesar do risco maior de impotência sexual e de perda involuntária de urina.

Quais são as medidas que em alguns casos podem dispensar ou protelar a cirurgia da próstata?

Urine prontamente, assim que sentir vontade.

Programe suas micções com menores intervalos de tempo, mesmo que não sinta necessidade de urinar.

Urine sempre antes de dormir.

Evite o álcool e a cafeína, sobretudo à noite. Essas substâncias excitam a bexiga.

Divida os líquidos ao longo do dia e não beba uma grande quantidade de uma vez.

Evite tomar líquidos antes de dormir.

Procure reduzir o estresse, porque ele pode levar a uma micção mais frequente.

Use medicamentos, conforme orientação médica.

ABC.MED.BR, 2013. Cirurgia da próstata: quando ela deve ser feita?. Disponível em: <http://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/512889/ Acesso em: 27 mar. 2014.

Last edited by

1 Reply

oldestnewest
  • Flavio,

    Agradecemos a colaboração.

    Um abraço,

    Saúde da Próstata

You may also like...