Periodontite ligada à Diabetes mellitus

Periodontite ligada à Diabetes mellitus

As práticas odontológicas devem se concentrar em pacientes com periodontite severa para triagem de pré-diabetes.

Diabetes tem sido um problema global de saúde e que tem sido associado com várias outras condições de saúde. Múltiplos estudos têm demonstrado a ligação entre diabetes e a periodontite .

Periodontite é uma infecção gengival grave que danifica o tecido mole e destrói as estruturas de apoio dos dentes. Sua prevalência é 2 vezes maior naqueles com mais de 50 anos e de 2 a 3 vezes maior em pacientes com diabetes do que em uma pessoa saudável .

Está principalmente associada com diabetes descontrolada tornando suscetíveis à infecções e prejudicando a cicatrização de feridas.

Diabetes é uma doença evitável, assim o diagnóstico precoce da pré-diabetes é essencial para a prevenção da diabetes e complicações relacionadas.

Estudos sugerem que a periodontite é uma complicação precoce da diabetes e pode ser usada como uma ferramenta para pesquisar pacientes no início da diabetes.

Embora a maioria das práticas odontológicas careça de equipamento para análise bioquímica do sangue, as medições de hemoglobina glicada (HbA1c) podem auxiliar na pesquisa da diabetes em pacientes com Diabetes.

O objetivo do estudo é analisar os níveis de HbA1c e identificar a presença da pré-diabetes em participantes com ou sem periodontite de uma clínica odontológica universitária utilizando análise de manchas de sangue seco.

Em um estudo, uma série de pacientes do Departamento de Periodontia do Centro Acadêmico de Odontologia de Amsterdan (ACTA), que foram diagnosticados com periodontite foram encaminhados para o tratamento. Um total de 313 participantes foram incluídos, dentre os quais 126 pacientes tiveram periodontite leve / moderada, 78 pacientes tiveram periodontite grave e 109 pacientes não tiveram periodontite.

Os valores de HbA1c foram obtidos pela análise de manchas de sangue seco. Além disso, foram analisadas as diferenças nos valores médios de HbA1c e a prevalência de pré-diabetes entre os grupos.

Os pacientes foram classificados como portadores de periodontite usando a definição de caso dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Academia Americana de Periodontia (CDC-AAP). 78 pacientes tiveram periodontite grave e 109 pacientes não tiveram periodontite.

Um estudo piloto determinou o tamanho da amostra, incluindo 49 indivíduos saudáveis e 33 pacientes com periodontite. A relevância clínica foi demonstrada com uma diferença média na HbA1c de 0,7% (7 mmol / mol) entre pacientes com periodontite e indivíduos controle. O tamanho da amostra foi calculado com base em um teste t de Student de dois lados de 5% com 80% de potência e a média de HbA1c de ambos os grupos controle e com periodontite (5,5% [37 mmol / mol] e 6,2% [44 mmol / mol] ), respectivamente, e um estudo global de SD com base populacional de 1,3% (15 mmol / mol). Foi necessário um mínimo de 61 indivíduos por grupo. De acordo com as diretrizes da American Diabetes Association (ADA), os valores de HbA1c foram classificados como normais (<5,7%), pré-diabetes (5,7-6,4%) ou diabetes mellitus (≥ 6,5%).

Resultou um valor significativamente mais elevado de HbA1c de 6,1% ± 1,4% (43 mmol / mol ± 15 mmol / mol) em grupos de periodontite leve ou moderada e de 6,3% ± 1,3% (45 mmol / mol ± 15 mmol / mol) em grupos de periodontite grave comparado com o grupo controle de 5,7% ± 0,7% (39 mmol / mol ± 8 mmol / mol, p = 0,003). Observou-se, também, uma notável sobre-representação de diabéticos suspeitos (23% e 14%) e pré-diabetes (47% e 46%) no grupo de periodontite severa e periodontite leve / moderada respectivamente, em relação ao grupo controle (10% e 37% %, P = 0,010). No total, 18,1% dos pacientes com suspeita inicial de diabetes foram encontrados em indivíduos com periodontite grave comparados com 9,9% e 8,5% entre os indivíduos com periodontite leve / moderada e controles, respectivamente (p = 0,024).

Em conclusão, as práticas odontológicas devem se concentrar em pacientes com periodontite severa para rastreamento da pré-diabetes porque isso diminuirá consideravelmente o número de casos suspeitos de Diabetes. Uma vez que a detecção precoce é a chave para a prevenção da Diabetes, acrescenta-se a prevenção de outras complicações graves, juntamente com o tratamento da periodontite.

Normalmente, os pacientes com periodontite apresentaram maiores níveis de HbA1c em comparação com indivíduos sem periodontite. Entre os participantes do estudo com periodontite severa com status metabólico desconhecido, havia 18% suspeitos de novos casos de Diabetes. Periodontite como um sinal precoce de Diabetes mellitus serve como um valioso indicador de risco e, portanto, consultórios odontológicos que tratam pacientes com periodontite são locais adequados para rastreio da Diabetes através de uma simples picada no dedo e uma análise validada da HbA1c de mancha de sangue seca.

Pontos Relevantes:

•O diagnóstico precoce do pré-diabetes mellitus é essencial para a prevenção de complicações da Diabetes.

•Periodontite pode ser um primeiro sinal da Diabetes Tipo 2.

•Em média, os pacientes com periodontite apresentaram maiores níveis plasmáticos de hemoglobina glicada (HbA1c) em comparação com indivíduos sem periodontite.

•Entre os sujeitos com periodontite grave cujo estado metabólico era desconhecido, 18% dos casos suspeitos de diabetes foram identificados.

Referencias:

1.Davenport L. Dentists Note Severe Periodontitis ‘May Point to Early Diabetes. Medscape Log In. Medscape Medical News, 2 Mar. 2017. Web. 9 Mar. 2017.

2. Lam DW, LeRoith D. The worldwide diabetes epidemic. Curr Opin Endocrinol Diabetes Obes. 2012;19:93–6.

3. Mayo Clinic Staff. Periodontitis. Mayo Clinic. MFMER, 4 Feb. 2014. Web. 9 Mar. 2017.

4. Teeuw WJ, Kosho MX, Poland DC, Gerdes VEA, and Loos BG. Periodontitis as a possible early sign of diabetes mellitus. BMJ Open Diabetes Research and Care. 2017;5:e000326.

Fonte: diabetes in control , 18 de março de 2017

oldestnewest

    You may also like...