Diabetes gestacional: cardápio para prevenir e combater a doença

Diabetes gestacional: cardápio para prevenir e combater a doença

Algumas mudanças na alimentação ajudam a afastar o problema. Saiba o que colocar (ou não) no prato.

O diabetes gestacional, ao contrário do que muita gente pensa, não é uma exclusividade das mulheres obesas ou com histórico familiar da doença. Por isso, todas as futuras mães devem levar a ameaça a sério.

As alterações metabólicas típicas da gravidez reduzem a ação da insulina - hormônio envolvido no aproveitamento do açúcar como energia. Em um mecanismo de compensação, o pâncreas deve incrementar a liberação dessa substância. Quando isso não acontece, sobra açúcar em circulação e o diabetes gestacional se instala.

Alguns fatores favorecem a ocorrência desse quadro, entre eles, o gênero da criança. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Toronto (Canadá), o problema acontece com mais frequência na gravidez de meninos.

Especialistas afirmam que há evidências de que as células pancreáticas atuam com menos eficiência no organismo durante a gestação de meninos. Além disso, a herança genética, o sedentarismo, a obesidade, o ganho exagerado de peso durante os nove meses e a alimentação inadequada também favorecem o diabetes gestacional.

A mudança do cardápio é uma das principais armas para evitar ou combater o problema. A dieta para controlar o ganho de peso e manter a glicemia deve ser individualizada, elaborada por um nutricionista. No entanto, dá para seguir algumas recomendações gerais.

Veja quatro dicas dadas pela nutricionista Mariana del Bosco, da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade (Abeso):

1. Nada de comer por dois

A necessidade energética na gravidez é menos do que se imagina. No primeiro trimestre, ela permanece igual. No segundo, tem um acrécimo de apenas 340 calorias por dia e no terceiro, por volta de 450.

2. Mais fibra

Aumente o consumo de fibrasm que promovem saciedade e ajudam a estabilizar os níveis de glicose. Vale ingerir mais verduras e legumes, incluir cereais integrais, grãos, como lentilha e ervilha, além de farelo de aveia, semente de linhaça e chia nas refeições.

3. Frutas para comer

Embora as frutas sejam boas fontes de fibras, contém muita frutose, o açúcar delas. O ideal é consumi-las in natura, preferencialmente de sobremesa, evitando sucos e papas, que são absorvidos muito rapidamente, fazendo a glicose subir.

4. Soma perfeita

Combine sempre carboidratos com proteínas, acrescentando queijo à torrada ou iogurte ao cereal, por exemplo, para retardar sua absorção.

Fonte: Por Adriana Toledo - atualizada em 26/01/2016 revistacrescer.globo.com/

Last edited by
oldestnewest

You may also like...