NOVOS MEDICAMENTOS E TECNOLOGIAS EM 2016

NOVOS MEDICAMENTOS E TECNOLOGIAS EM 2016

Para começar ou recomeçar, neste primeiro artigo do ano, trataremos de novidades tecnológicas e farmacológicas que cedo ou tarde chegarão ao Brasil.

Como de costume, a maioria delas já está disponível em diversos outros países. Iniciaremos, então, por uma novidade que causou muita empolgação em 2015, por transmitir os resultados do sensor de glicose acoplado à bomba de insulina para o celular: o dispositivo Connect®, da empresa Medtronic®.

Para quem tem o celular conectado à internet, os valores são, também, imediatamente enviados ao sistema CareLink® da empresa e podem ser visualizados em tempo real por todos aqueles que têm permissão de acesso (pais, outros familiares, profissionais de saúde, etc.). Em 2015 esse equipamento foi comercializado apenas nos EUA, mas, neste ano, essa novidade deve ser liberada por agências reguladoras em outros países (possivelmente também no Brasil).

Nessa mesma direção, e também da Medtronic®, está o Guardian Mobile®, destinado a pessoas que não usam bomba de insulina, mas querem ou precisam usar o monitor contínuo. Com esse dispositivo, para quem usa caneta de insulina ou seringa, será possível acompanhar os resultados da glicose continuamente na tela do celular.

Apesar de novidade no Brasil, nos EUA a empresa concorrente, Dexcom®, tem aperfeiçoado esse tipo de equipamento. Seu último lançamento, o G5®, transmite os valores da glicose diretamente do sensor-transmissor para o celular, sem necessidade de retransmissor intermediário. No caso dos sistemas da Dexcom® já é possível acompanhar a glicose de um parente, por exemplo, à distância, através de seu Smartwatch. Contudo, por se tratar de uma empresa sem representação no Brasil, há menos chances de, em curto prazo, contarmos com seus produtos no país.

Ainda sobre tecnologia, não podemos nos esquecer dos equipamentos: FreeStyle Libre®, da Abbott®, e da bomba 640G®, da Medtronic®. O primeiro, após 2 anos de espera, finalmente, de acordo com a fabricante, chegará ao país no decorrer de 2016. Com sensor Flash de glicose, o FreeStyle Libre® surge como uma opção nova e complementar, diferente tanto dos glicosímetros quanto dos sensores contínuos.

Já o segundo, bomba 640G®, infelizmente, não tem previsão para lançamento no Brasil. Entre os diferenciais dessa nova bomba, destaca-se o sistemaSmartGuard®, que bloqueia a liberação da insulina antes de uma hipoglicemia, a fim preveni-la, e reativa a liberação desse hormônio quando o risco de hipo acaba ou após duas horas de interrupção. Mais um passo em direção ao Pâncreas Artificial!

Em relação aos medicamentos, duas insulinas já lançadas em outros países, mas sem previsão para chegar ao Brasil, são: a Afrezza®, insulina inalável ultra-ultra-rápida (pico de ação em 15 minutos, enquanto as ultrarrápidas fazem pico em aproximadamente 1 hora); e a Abasaglar®, uma insulina Glargina, biossimilar à Lantus®, lançada pela Lilly®após a queda da patente dessa molécula que pertencia à Sanofi®.

Além dessas, as empresas têm lançado variações das insulinas em maior concentração, como a Toujeo® (300 unidades/ml de Glargina), da Sanofi®, já aprovada na ANVISA e com previsão de lançamento em 2016; e a Humalog® 200 unidades/ml de Lispro, da Lilly®.

Para o diabetes tipo 2, destacamos duas novidades. Uma delas é o Xultophy®, da Novo Nordisk®. Trata-se de umamistura entre a insulina ultralenta Degludeca (Tresiba®) e a Liraglutida (famoso Victoza®). Este último medicamento da mistura potencializa a liberação de insulina, reduz a fome e aumenta o tempo para o esvaziamento gástrico. Ao mesmo tempo, a concorrente Lilly® lança o Dulaglutide (Trulicity®), que, apesar de ter o mesmo tipo de ação do Victoza®, deve ser injetado apenas 1 vez por semana!

Apesar de muitas as novidades, tanto para tipo 1 quanto para tipo 2, o tempo de espera para que cheguem ao Brasil não costuma ser curto.

Proponho, então, voltarmos a este artigo em dezembro para conferir quais dos produtos citados acima foram efetivamente lançados no país durante o ano.

Fonte: Portal da SBD de 19/01/2016

Informações do Autor

Dr. Mark Barone

Doutor em Fisiologia Humana (ICB/USP)

Especialista em Educação em Diabetes (ADJ-IDF-SBD, UNIP e IDC)

Autor dos livros “Tenho diabetes tipo 1, e agora?” e “Diabetes: conheça mais e viva melhor”

e do blog tenhodiabetestipo1eagora.bl...

oldestnewest

You may also like...