23 milhões de pessoas podem morrer de doenças cardiovasculares no mundo por ano até 2030

23 milhões de pessoas podem morrer de doenças cardiovasculares no mundo por ano até 2030

Centro de Cardiologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz lembra sobre os cuidados com a saúde para evitar problemas cardiovasculares e a importância da mudança de estilo de vida para prevenir doenças.

O dia 29 de setembro é a data oficial do Dia Mundial do Coração, que tem como objetivo sensibilizar a população sobre a importância de manter o coração saudável. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, as doenças cardiovasculares (DVCs) causam anualmente 17,3 milhões de mortes no mundo. Estima-se que até 2030, esse número suba para 23 milhões por ano.

As doenças cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e vasos sanguíneos. O principal mecanismo da doença é o acúmulo de placas de gorduras nas artérias, impedindo a passagem do sangue, o que pode provocar o infarto do miocárdio, por exemplo. Entre as principais causas dessas doenças estão o tabagismo, pressão alta, diabetes, colesterol alto, obesidade, sedentarismo e hábitos alimentares inadequados.

Segundo o especialista do Centro de Cardiologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo (SP), Dr. Fábio de Cerqueira Lario, é importante alertar a população sobre a necessidade de conhecer e controlar adequadamente esses fatores de risco para o desenvolvimento de doenças do coração, e também adotar continuamente hábitos saudáveis para preveni-las.

“Parar de fumar, praticar atividade física regularmente, procurando se movimentar sempre que possível durante a rotina diária, adotar uma alimentação mais saudável, com baixo consumo de sal e de alimentos com excesso de açúcares e gorduras saturadas e trans, são algumas medidas que ajudam a evitar as doenças cardiovasculares”, explica o cardiologista. Estudos apontam que a adoção de determinados padrões alimentares, como a dieta mediterrânea, rica em frutas, hortaliças, legumes, produtos integrais, peixes e ácidos graxos insaturados (azeite de oliva) podem reduzir substancialmente o risco de doenças cardíacas.

Além dos hábitos saudáveis, outro item importante na prevenção é a realização de uma avaliação médica periódica, sobretudo para os homens a partir dos 40 anos, para as mulheres a partir dos 50 anos e todos os indivíduos que já apresentem antecedentes pessoais ou familiares de doenças cardíacas. “Para que possam controlar e reduzir o risco de doenças do coração, as pessoas precisam conhecer seus fatores de risco. Dessa forma, a avaliação do cardiologista é fundamental para se obter o conhecimento da pressão arterial, de alterações clínicas ainda sem manifestação e dos níveis de açúcar e colesterol no sangue. Ainda torna possível a estimativa do risco de desenvolver alguma doença cardiovascular ao longo da vida, permitindo a recomendação correta para que cada um possa reduzir esse risco”, explica o Dr. Lario.

Dados deste ano do Ministério da Saúde mostram que 31% dos homens brasileiros não têm o hábito de ir ao médico para acompanhar seu estado de saúde e buscar auxílio na prevenção de doenças. “É importante investir em campanhas de prevenção. E faz parte desse processo o paciente conhecer o seu organismo”, diz o cardiologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Fique atento aos sintomas

Entre os sintomas das doenças do coração estão a dor no peito, sobretudo quando desencadeada por algum esforço físico, a falta de ar, o inchaço nas pernas, além de palpitações e desmaios. Ao reconhecer algum desses sintomas é necessário procurar um cardiologista.

O Centro de Cardiologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz conta com os núcleos de cardiologia geral e prevenção, de arritmias cardíacas e de hipertensão arterial. Além dos núcleos de marca-passo, cardiologia diagnóstica e intervenção cardiovascular, proporcionando ao paciente portador destas patologias um atendimento completo e multidisciplinar. Dentro da estrutura da Instituição, é possível ainda contar com suporte nutricional e do serviço de reabilitação.

Last edited by
oldestnewest