Todos nós não vemos o mesmo. Veja o mundo através dos meus olhos !

Recebi um telefonema de um consultório médico a respeito de uma paciente que necessitava de orientação / educação em diabetes o mais rapidamente possível .

A Paciente com 64 anos de idade , estava com sua A1C aumentada para 7,5 e precisava fazer alterações no seu controle.

Um único problema : a paciente era cega!

A paciente vivia sozinha com seu cão-guia e tinha assistência de um irmão.Ela vivia uma vida relativamente normal , apesar de sua cegueira, trabalhando

em um escritório e frequentava uma academia 2 vezes por semana .

Como educadora , eu nunca tinha lidado com uma pessoa cega e não estava me sentindo confortável para enfrentar este desafio.

A maioria dos pacientes com diabetes em nossa pequena clínica na zona rural tem visão suficiente para controlar a sua doença.

Comecei a pensar em todas as coisas que nós já tínhamos desenvolvido para ensinar nossos pacientes, como a punção nos dedos, ler um rótulo, mesmo simplesmente colocar a quantidade correta de comida no seu prato.

Tudo isso foi jogado pela janela. Como ajudar essa paciente para vê-la cuidado do seu diabetes?

Acessei a Federação Nacional dos Cegos- NFB- (https://nfb.org/literature-diabetes) e obtive informações e ferramentas para auxiliar um paciente cego

que também tem diabetes.

A maioria dos recursos obtidos através da Federação Nacional dos Cegos (NFB) são gratuitos , embora eu tenha comprado uma edição em braille de uma relação de alternativas de alimentos para pacientes na esperança de que isso iria ajuda-la e seu irmão a fazer compras para as refeições.

A NFB também fornecem um CD de áudio intitulado Bridging the Gap: Viver com cegueira e diabetes.

O paciente encontrando este CD poderá ser muito útil e inclui recursos e artigos do Voice of the Diabetic, uma publicação não impressa.

Os desafios foram muitos, e exigiram maiores esforços para tornar a educação visível para a paciente.

Usamos muito as mãos da paciente no sentido de tocar para ilustrar o controle do diabetes. O glicosímetro sonoro era uma necessidade absoluta.

A punção nos dedos tornou-se um sucesso até que surja uma alternativa melhor para os pacientes.

Utilizamos a tecnologia inteligente para seu iPhone com aplicativos que incluem Dragon Dictation, OMoby e VizWiz que fala com ela e a ajuda na identificação

de itens dentro de um pacote de informações . O aplicativo Evernote registra todas as nossas conversas para serem analisadas e revisadas posteriormente.

Através da Associação Americana de Diabetes, obtivemos um link compartilhado para ajudá-la no seu controle.

Nossa equipe passou um bom tempo para garantir que a nossa paciente tivesse compreendido todos os aspectos de seus cuidados relacionados com a diabetes.

Os telefonemas diários ajudaram a paciente a perceber que seu diabetes é uma doença controlável.

Passamos cerca de 3 meses trabalhando muito de perto ,apoiando seus esforços de auto-controle. No final deste período a sua A1C havia reduzido para 6%, o que a deixou muito feliz com o resultado,tinha perdido um pouco de peso, e no geral sentiu-se equipada o suficiente para controlar seu diabetes.

Nosso objetivo principal foi o de permitir que a paciente tenha sua capacidade de independência restaurada para seu auto-controle, fornecendo-lhe

as ferramentas necessárias para gerenciar com sucesso seu diabetes.

Nossa equipe saiu com uma lição muito valiosa sobre educação em diabetes e sua necessidade de ser individualizada .

É tudo sobre o que o paciente vê , ou neste caso, o que eles não vêem .

Lições Aprendidas:

1. Explore todos os recursos possíveis quando ajudar as pessoas com diabetes.

2. Todos os pacientes têm desafios, mas cada desafio é uma oportunidade para fazer a diferença.

3. Avaliar os desafios de cada paciente.

4. Você pode sentir não devidamente equipado, mas normalmente existem recursos disponíveis para ajuda-lo se você dedicar tempo para busca-los.

Fonte: Diabetes in Control , 20/09/2016

Autora:

Liz Whelan MSN RN CDE

Coordenadora de Saúde e Educação em Diabetes

Cass Regional Medical Center

Tradução : Luiz Flávio de Freitas Leite , MSc, MBA , Farmacêutico- Bioquímico

oldestnewest