Dieta sem glúten? Necessário para alguns, opcional para outros

Dieta sem glúten?  Necessário para alguns, opcional para outros

Com a crescente popularidade dos produtos sem glúten em sua mercearia local, você pode ter querido saber se você deve evitar comer glúten. Evitar glúten pode ser uma opção de vida para muitos. Mas para aqueles com uma condição conhecida como doença celíaca, é uma necessidade médica.

O glúten é uma proteína encontrada em trigo, cevada, centeio, aveia e, por vezes,-ingredientes frequentemente usados em pães, massas, e sobremesas. Algumas pessoas ficam com gases, diarréia, ou inchaço após comer glúten. Estes sintomas podem ser causados pela intolerância à proteína ou de uma alergia do trigo, mas a doença celíaca é diferente.

Quando uma pessoa com doença celíaca come ou bebe alguma coisa com glúten, o sistema imunológico do corpo ataca no interior do intestino delgado. Os danos causados por este ataque impede o organismo de absorver nutrientes necessários. Se for deixada sem tratamento, a doença celíaca pode levar à desnutrição, depressão, ansiedade, anemia, ou ossos enfraquecidos. Ele também pode atrasar o crescimento da criança.

A doença celíaca pode ser difícil de detectar, porque seus sintomas podem ser semelhantes a de outras doenças. A condição afeta cerca de 1% das pessoas em todo o mundo; cerca de 80% delas não foram diagnosticadas, diz o Dr. Alessio Fasano, um especialista em doença celíaca no Hospital Geral de Massachusetts . "A doença celíaca é um camaleão clínico. Isso cria uma enorme confusão e situações difíceis para ambos os profissionais de saúde e as pessoas que estão tentando entender o que há de errado com elas ", diz Fasano.

O seu médico pode usar um exame de sangue para procurar sinais da doença celíaca. Antes do exame ,deve-se continuar a comer alimentos com glúten. Caso contrário, os resultados podem ser negativos para a doença celíaca, mesmo se você a tenha. Comer uma dieta regular pode também ajudar o médico a determinar se você tem uma forma de sensibilidade ao glúten que não é doença celíaca. sensibilidade ao glúten é algo que você pode desenvolver ao longo do tempo, Fasano explica, ao passo que a doença celíaca é uma condição ao longo da vida.

Se os testes e sintomas sugerem a doença celíaca, o médico pode confirmar o diagnóstico através da remoção de um pequeno pedaço de seu intestino para inspecioná-lo por danos.

Os testes genéticos podem ser utilizados para detectar os genes que se ligam a resposta imune do corpo ao glúten. Tais testes podem ajudar a excluir a doença celíaca, mas eles não podem ser utilizados para diagnósticos; muitas pessoas que têm os genes nunca desenvolvem a doença celíaca.

A equipe de Fasano está estudando por que algumas pessoas com esses genes não têm sintomas. Os pesquisadores financiados pelo NIH acompanharão crianças que estão em maior risco porque um membro da família tem a doença celíaca. A equipe espera que seus resultados irão ajudar os médicos a prever quem vai ter doença celíaca e aprender a evitá-la.

Pessoas com uma doença auto-imune tem maior risco para outras doenças auto-imunes. Devido o porque da doença celíaca e o tipo de genes de risco para o da diabetes 1, um grande estudo internacional está acompanhando os recém-nascidos em risco para ambas as condições para identificar os fatores ambientais que podem desencadear ou proteger contra estas doenças.

Seguir 100% uma dieta estrita livre de glúten por toda a vida continua a ser o único tratamento até agora. "Não podemos eliminar os genes do corpo , por isso devemos remover o gatilho ambiental", diz Fasano.

O glúten é encontrado às vezes em fontes inesperadas tais como : medicamentos, vitaminas ou protetores labiais , deste modo é importante verificar cuidadosamente as listas de ingredientes.

O FDA - Food and Drug Administration – USA , tem normas rigorosas para o uso de rótulos "sem glúten".

Conversando com um nutricionista também pode ser útil para aprender sobre suas opções de alimentos.

Se suspeitar que você pode ter doença celíaca, fale com o seu médico. Esperar muito tempo para um diagnóstico pode levar a sérios problemas.

Fonte : NIH News em Saúde , maio 2016

Tradução : Luiz Flávio de Freitas Leite , Farmacêutico-Bioquímico, M.Sc., MBA

oldestnewest

You may also like...