Dieta Nórdica associada à redução do risco do Diabetes Tipo 2

Dieta contendo alimentos ricos em antioxidantes foram descritos para reduzir o risco de acidente vascular cerebral.

Muitos estudos têm indicado sobre os efeitos de diferentes alimentos que diminuem o risco do Diabetes Tipo 2, como cereais integrais, fibras, tubérculos , folhas verdes e legumes.

Embora a pesquisa anterior tenha sido principalmente em relação a alimentos individuais ou nutrientes, pode ser mais relevante avaliar refeições como um todo que consistem de combinações de vários nutrientes e alimentos.

Pesquisas anteriores mostraram que a dieta mediterrânea reduz o risco de desenvolver o Diabetes. Um estudo prospectivo de coorte observando 13.380 estudantes universitários espanhóis mais uma mediana de 4,4 anos mostrou que a dieta mediterrânea reduz o risco de Diabetes.

Os hábitos alimentares foram avaliados através de um questionário da freqüência alimentar de 136 itens e marcou um índice de nove pontos. Os resultados do estudo mostraram que um aumento de dois pontos na pontuação foi associada com uma redução relativa de 35% no risco de Diabetes.

Embora esteja claro que a dieta mediterrânea pode reduzir o risco do Diabetes, um recente estudo analisou o impacto da dieta nórdica sobre o Diabetes.

Um estudo prospectivo de coorte dinamarquês teve como objetivo analisar as pessoas que comem uma variedade de alimentos e seu risco do Diabetes Tipo 2. As pessoas submetidas ao estudo que viviam nas áreas de Copenhagen e Aarhus foram inscritas no período de dezembro de 1993 a maio de 1997. Um total de 55,060 indivíduos foram inscritos com idade variando entre 50 a 64 anos.

O estudo analisou o índice associado com a adesão da dieta nórdica saudável e o risco de desenvolver o Diabetes Tipo 2. O índice da dieta nórdica foi composto por seis itens de alimentos : peixe, repolho, pão de centeio, aveia, maçãs, peras, e tubérculos.

O estudo constatou que a maior aderência ao índice da dieta saudável nórdica estatisticamente reduziu significativamente o risco de Diabetes Tipo 2 em 25% nas mulheres e em 38% nos homens.

Esses resultados oferecem aos pacientes mais opções em sua dieta diária, permanecendo saudável.

Outros estudos com vista a frutas e legumes reforçam os resultados encontrados no estudo dinamarquês, bem como traz ideias para benefícios adicionais. Frutas, tais como maçãs são ricas em antioxidantes que reduzem o risco de outras doenças.

Os antioxidantes eliminam diretamente os radicais livres e aumentam a defesa celular endógena. Floretina e ácido péctico, encontrados nas maçãs, têm sido mostrados para induzir a apoptose em células cancerosas.

Um estudo observou diretamente para células de câncer de mama que mostra que o ácido péctico inibiu o crescimento celular e reduziu a ligação de células após 24 horas de incubação.

Os resultados do estudo indicaram que o ácido péctico induziu a apoptose caspase-dependente e a frequência de apoptose aumentada após de 24 horas de incubação.

O consumo diário de frutas e vegetais têm também mostrado reduzir o risco de acidente vascular cerebral, através da presença de compostos pigmentados bioativos tais como carotenóides, antocianidinas, e flavonóides.

Um grande estudo prospectivo de coorte analisando 20,069 homens e mulheres com idade entre 20 a 65 anos observou o risco de derrame associado com a ingestão de frutas e legumes. O estudo considerou : idade, sexo, estilo de vida e fatores dietéticos.

Os resultados mostraram que frutas e legumes verdes, laranja / amarelo, roxo e vermelho não foram associados com a incidência de acidente vascular cerebral.

Curiosamente, maior ingestão de frutas e vegetais verdes foi inversamente associado com a ingestão de frutos brancos mais comuns como maçãs e peras , com uma incidência de acidente vascular cerebral .

O estudo mostrou que um aumento de 25 gramas no consumo diário de frutas e legumes reduz o risco de acidente vascular cerebral em 9%.

Atualmente, existem dados que sugerem que a comida mediterrânea reduz o risco de Diabetes Tipo 2. Este recente estudo sugere que os alimentos da dieta nórdica podem também ser também ser recomendados para a prevenção do Diabetes do Tipo 2. As conclusões do estudo dinamarquês são reforçados por outros estudos com vista a componentes da dieta nórdica.

Alimentos que contenham altos níveis de antioxidantes fornecem uma ampla gama de benefícios. Através desses estudos, os pacientes têm uma maior variedade em sua dieta e ingestão diária de modo que possam escolher aqueles que melhor atendem às suas necessidades.

Pontos Relevantes:

1. Os padrões alimentares devem olhar para as refeições como um todo , consistem em vários alimentos ao invés de alimentos ou nutrientes individualmente.

2. A dieta nórdica é uma alternativa à dieta mediterrânea na redução do risco de Diabetes Tipo 2, com uma redução do risco em 25% nas mulheres e 38% em homens.

3. Alimentos ricos em antioxidantes não só reduzem o risco de Diabetes, mas também oferecem uma grande variedade de benefícios como a redução no risco de acidente vascular cerebral.

# Martínez-González, M. Á., et al. “Adherence to Mediterranean diet and risk of developing diabetes: prospective cohort study.” Bmj 336.7657 (2008): 1348-1351.

# Lacoppidan, Sandra Amalie, et al. “Adherence to a Healthy Nordic Food Index Is Associated with a Lower Risk of Type-2 Diabetes—The Danish Diet, Cancer and Health Cohort Study.” Nutrients 7.10 (2015): 8633-8644.

# Delphi, Ladan, et al. “Pectic-Oligoshaccharides from Apples Induce Apoptosis and Cell Cycle Arrest in MDA-MB-231 Cells, a Model of Human Breast Cancer.”Asian Pacific journal of cancer prevention: APJCP 16.13 (2015): 5265.

# Griep, Linda M. Oude, et al. “Colors of fruit and vegetables and 10-year incidence of stroke.” Stroke 42.11 (2011): 3190-3195.

Fonte: Diabetes in Control , 4 de Dezembro de 2015.

Last edited by
oldestnewest

You may also like...