Um importante estudo europeu concluiu que a obesidade maternal deve ser reduzida

Fonte: diabetesincontrol

Autor: Consórcio DORIAN, liderado pela Dra.Patricia Iozzo

De acordo com o consórcio DORIAN, estratégias específicas são necessárias para prevenir a obesidade em mulheres em idade fértil...

As origens do Desenvolvimento e do Envelhecimento Saudável e Não Saudável:

O Papel da Obesidade (DORIAN) consórcio maternal, financiado pela European Commission's Framework Program 7, publicou os resultados obtidos a partir de seu programa de pesquisa durante 3 anos, que começou em janeiro de 2012.

O projeto teve como objetivo apresentar uma melhor compreensão dos mecanismos básicos do início do desenvolvimento da vida e do envelhecimento, com o objetivo de melhorar a saúde e a qualidade de vida durante todo o curso da vida.

Em particular, o Consórcio DORIAN, liderado pela Dra.Patricia Iozzo ( Institute of Clinical Physiology, National Research Concil ( CNR), Pisa,Italy) investigou e analisou os impactos da obesidade materna sobre o processo de envelhecimento, e seus efeitos sobre as crianças ao longo de suas vidas. DORIAN foi dividida em vários projetos de pesquisa para questões específicas relacionadas a esta questão.

Uma importante prova de conceito veio a partir dos resultados de mais de 13.000 indivíduos que tinham sido acompanhados desde o nascimento (entre 1930-40) até a idade atual com 60-70 anos.

Liderados pelo professor Johan Eriksson em Helsínquia (Universidade de Helsinki e Centro de Pesquisa Folkhälsan, Helsinki), esta recolha de importantes dados mostrou que a probabilidade de desenvolver doenças Cardiovasculares e Cerebrovasculares, ou Diabetes Tipo 2 na idade adulta , foi maior em pessoas nascidas de mães que estavam com excesso de peso durante a gravidez.

De acordo com a Dra. Iozzo, o foco foi :

" Tentar entender se os sinais de risco de doença podem ser identificados durante as primeiras fases da vida. Os resultados de 90 mães e seus filhos estão mostrando que o perfil metabólico, o peso corporal e desenvolvimento cardíaco em crianças são influenciados pela associação entre o sobre-peso na pré-gravidez combinado com o ganho de peso durante a gravidez, e pelo peso materno e o controle da glicemia, no final da gravidez. O ganho de peso ocorre entre gestações consecutivas (comumente observados em mulheres) também afeta esses fatores . "

"O período de gestação ,mesmo o último período é fundamental", diz a Dra. Iozzo. "Os esforços intensivos devem ser dedicados a monitorar o estilo de vida durante a gravidez e otimizar o perfil metabólico da mãe no momento do parto."

Uma equipe liderada pelas professoras Rebecca Reynolds e Megan Holmes, da Universidade de Edimburgo, Reino Unido, descobriu que as mulheres obesas ingerem uma dieta mais rica em gorduras saturadas e mais pobres em micronutrientes (vitaminas, minerais) durante a gravidez, em comparação com as mulheres magras.Além disso, usando um modelo pré-clínico os investigadores descobriram que a placenta de mães que comem uma dieta rica em gorduras ofereciam proteção enfraquecida para o feto contra o hormônio do estresse cortisol circulante; e, consequentemente, o crescimento fetal é reduzido e estes filhos são mais propensos a sofrer de transtornos de humor na idade adulta.

As Professoras Holmes e Reynolds afirmaram:

"As duas mensagens mais importantes para as mulheres grávidas a partir dessas descobertas são de que elas devem ter uma dieta e um estilo de vida saudável durante a gravidez, e se sofrer de ansiedade ou depressão devem procurar tratamento adequado para ajudar os seus sintomas." A Dra. Iozzo acrescenta: "Os responsáveis pelas políticas de saúde devem elaborar diretrizes específicas para a dieta durante a gravidez, e apoio à saúde mental para as mulheres grávidas deve ser melhorado."

É importante salientar que o ambiente do útero, e, especialmente, a dieta da mãe pode interagir com o DNA da criança durante o seu desenvolvimento pelas chamadas modificações epigenéticas, que alteram a função dos genes. Todas as pessoas têm modificações epigenéticas e elas irão influenciar nossa saúde ao longo da vida.

Os resultados da equipe do Dr. Paulino Gómez-Puertas da Biomol-informática em Madrid, Espanha, trabalhando em colaboração com a DrA. Iozzo, destacou uma série de diferenças entre as crianças nascidas de mães obesas comparadas com as crianças nascidas de mães magras.

Alguns outros resultados chaves do projeto relacionado com as tampas protetoras na parte final do nosso DNA chamadas telômeros ''. "Ter telômeros longos", diz a pesquisadora Maria Angela Guzzardi da equipe da Dra. Iozzo ", protege o nosso DNA de modo que é mais capaz de funcionar e reparar, enquanto que telômeros mais curtos são marcadores de doença e de uma vida útil menor."

A equipe DORIAN descobriu que o sobrepeso / obesidade maternal combinado com um maior ganho de peso durante a gravidez está associado com menor comprimento dos telômeros nos filhos e à medida que envelhecem. No entanto, a Dra. Iozzo afirma que mesmo que uma mulher grávida tenha nascido com telômeros mais curtos e tenha um IMC elevado, ela ainda pode reverter a situação e gerar filhos saudáveis.

"Se você se encontra nesta situação, você deve tentar evitar um ganho excessivo de peso, e também ser fisicamente ativa e como isso poder melhorar o metabolismo da glicose e alongar os telômeros."

Na verdade, o que os professores Dr. Guzzardi e Johan Eriksson (Universidade de Helsinki e do Centro de Pesquisa Folkhälsan, Helsinki) e o Dr. Pirjo Nuutila da Universidade de Turku, na Finlândia revelam, é que a atividade física pode ter um efeito positivo sobre o comprimento dos telômeros,sobre o metabolismo da glicose e a sensibilidade à insulina, especialmente em mulheres adultas nascidas de mães obesas.

Outros resultados do projeto incluem:

Resultados do grupo do Dr. Mathias Schmidt, do Instituto Max Planck em Munique, Alemanha, demonstrando que o FKBP51, um gene regulador para a obesidade materna, pode ser um possível alvo para novas drogas em distúrbios relacionados com a obesidade.

Um estudo pré-clínico realizado pela equipe do Dr. Francesca Cirulli no Istituto Superiore di Sanità em Roma mostra que a administração de antioxidantes pode ser um potencial método para prevenir ou atenuar os efeitos da obesidade materna sobre a saúde da criança.

A Dra. Iozzo conclui:

"O projeto DORIAN realçou a importância da prevenção da obesidade na gravidez, evitando o excesso de ganho de peso durante a gestação, e também a manutenção de uma dieta saudável, sem muita gordura,ou seja, todos os fatores que podem ter efeitos de curto e longo prazo sobre a saúde da mãe e de seu filho. "

"No contexto da saúde da mãe-filho , a atenção deve ser dedicada à prevenção do sobrepeso e obesidade entre as jovens que serão as futuras mães com estratégias necessárias e objetivas para garantir que as mulheres grávidas não ganhem excesso de peso e protegerem sua saúde física e mental, e consequentemente dos seus filhos ".

o Dr. Euan Woodward, diretor executivo do GEAA , afirmou : A Associação Europeia para o Estudo da Obesidade (GEAA) está encorajada pelos resultados deste projeto de investigação científica e apoia as suas recomendações:

"DORIAN destaca a necessidade da enorme importância para tratar a obesidade materna e desenvolver soluções para os formuladores de políticas e ferramentas para os cidadãos da Comunidade Européia e as chamadas GEAA em todas as partes interessadas para trabalhar juntas para alcançar essas metas"

Final Press Release, DORIAN (Developmental Origins of Healthy and Unhealthy Ageing: The Role of Maternal Obesity). dorian-fp7.eu/final-press-r...

26 pessoas alcançadas

oldestnewest

You may also like...