O PODER DO PACIENTE BEM INFORMADO PARA O AUTOCONTROLE DO DIABETES

O PODER DO PACIENTE BEM INFORMADO PARA O AUTOCONTROLE DO DIABETES

O objetivo final das estratégias de educação em diabetes não é o de apenas informar o paciente, porém, ainda mantê-lo estritamente dependente de seu médico para os ajustes de doses da medicação utilizada.

O autogerenciamento do diabetes é um objetivo universalmente considerado como fundamental nas estratégias educacionais para o controle da doença.

O presente estudo avaliou a possibilidade de se obter um controle glicêmico com base na autotitulação do tratamento pelo paciente, quando comparado ao nível de controle decorrente da titulação de uma dose única diária de insulina em bolu programada pelo médico numa situação de um paciente com diabetes tipo 2 (DM2) que não consegue obter um controle glicêmico otimizado apenas com uma dose de insulina basal.

Foram incluídos no estudo pacientes com DM2 e com um nível de A1C >7%, apresentando episódios de hipoglicemia noturna ou níveis insuficientes de glargina como insulina basal, para atingir um nível de glicose plasmática ≤108 mg/dL.

A insulina glulisina foi iniciada em todos os pacientes, junto ao café da manhã e os pacientes foram alocados a um grupo que se utilizou de uma orientação de autotitulação com base na orientação de um algoritmo ou a outro grupo que dependia de orientação específica do médico para a correção das doses de insulina prandial.

Após um seguimento de 159 dias, 28,4 dos participantes no grupo de autotitulação e 21,2% no grupo de titulação ditada pelo médico conseguiram atingir um nível de A1C ≤7,0%, sem a ocorrência de hipoglicemias severas.

Dentro do conceito estabelecido para um estudo do tipo de não-inferioridade na comparação entre duas intervenções terapêuticas, esses resultados caracterizaram uma situação específica de não-inferioridade, mostrando que o paciente bem orientado pode perfeitamente usar a liberdade de ajustes de dose na base do autogerenciamento da doença, sem dependência exclusiva ou exagerada da orientação médica frequente.

Fonte:

Harris, SB, Yale JF, Berard L et al. Does a Patient-Managed Insulin Intensification Strategy With Insulin Glargine and Insulin Glulisine Provide Similar Glycemic Control as a Physician-Managed Strategy? Results of the START (Self-Titration with Apidra to Reach Target) Study – A Randomized Noninferiority Trial. Diabetes Care 2014;37(3):604-610.

Informações do Autor

Dr. Augusto Pimazoni-Netto

Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim e Hipertensão da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP

E-mail: pimazoni@uol.com.br

oldestnewest

You may also like...