Boa tarde, tenho diabetes tipo 2 insulínico, portador de esteatose hepática grau 1, posso usar metformina?

Meu endocrinologista havia suspendido o uso da metformina, pois não tinha sido diagnosticado a esteatose, depois do diagnostico eu mudei de medico e ele ainda não me disse se posso voltar a usar a metformina, pois já ouvi dizer que este medicamento é um auxiliar no tratamento da esteatose hepática.

3 Replies

oldestnewest
  • GilsonSlva;

    A PUBLICAÇÃO A SEGUIR É SOMENTE PARA SUA INFORMAÇÃO, A PALAVRA FINAL SERÁ SEMPRE DO SEU MÉDICO, NUNCA DEIXE DE CONSULTÁ-LO E SEGUIR AS ORIENTAÇÕES DADAS POR ELE..

    Atualizado: julho 3, 2013

    CLORIDRATO DE METFORMINA | Informações úteis

    Autor: PEDRO PINHEIRO

    Leia o texto original no site MD.Saúde: CLORIDRATO DE METFORMINA | Informações úteis - MD.Saúde mdsaude.com/2011/01/cloridr...

    Reprodução do artigo autorizada sem modificações (não retire os links do texto).

    A Metformina, também conhecida pelos nomes comerciais Glifage, Dimefor, Glucoformin, Glucophage e Risidon, é a droga por via oral (antidiabético oral) mais usada para o controle glicêmico no diabetes mellitus tipo 2. Neste texto vamos abordar as indicações da metformina, que vão além do diabetes, seus efeitos colaterais e contra-indicações.

    Como funciona a metformina:

    Ao contrário do diabetes tipo 1 que é causado por deficiência de insulina, o diabetes tipo 2 ocorre por uma resistência do organismo à ação da insulina, que circula no sangue mas não consegue exercer seus efeitos. Esta característica do diabetes tipo 2 permite que ele seja tratado inicialmente não com insulina, mas com drogas por via oral, chamados de antidiabéticos orais (também chamados de hipoglicemiantes orais).

    Entre os antidiabéticos orais, o mais usado atualmente é o cloridrato de metformina, ou simplesmente, metformina, que é uma droga que só funciona nos pacientes que conseguem produzir insulina, sendo, assim, ineficaz no diabetes tipo 1.

    A insulina ajuda no controle glicêmico do diabetes tipo 2 através de três mecanismos:

    - Reduz a produção de glicose pelo fígado.

    - Aumenta a sensibilidade dos tecidos, principalmente dos músculos, à insulina. A metformina não aumenta a produção de insulina, mas sim otimiza a ação da insulina já produzida.

    - Reduz a absorção de glicose pelo trato gastrointestinal.

    A metformina é a droga de escolha para pacientes diabéticos e obesos, pois a mesma não está associada a ganho de peso, como acontece, por exemplo, com a insulina e outros antidiabéticos orais. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a metformina não emagrece ninguém e não deve ser usada como droga para se perder peso.

    A metformina também apresenta como efeito benéfico, uma leve redução dos níveis de colesterol LDL e triglicerídeos (leia: COLESTEROL HDL | COLESTEROL LDL | TRIGLICERÍDEOS).

    A metformina pode ser usada com segurança no tratamento do diabetes gestacional.

    Outras indicações da metformina além do diabetes:

    A única doença que tem indicação formal para ser tratada com metformina é o diabetes tipo 2, porém, algumas outras que também apresentam resistência dos tecidos à ação da insulina têm sido tratadas com metformina. Entre elas podemos citar:

    - Síndrome dos ovários policísticos: o uso da metformina parece ser benéfico, principalmente se a paciente tiver sobrepeso (leia: OVÁRIO POLICÍSTICO | Sintomas e tratamento).

    - Esteatose hepática: a metformina parece reduzir o grau de inflamação do fígado (leia: ESTEATOSE HEPÁTICA | Sintomas e tratamento).

    Contraindicações da metformina:

    A metformina é uma droga com pouquíssimas contra-indicações, mas uma delas é muito importante por ser uma situação frequente em pacientes com diabetes: a insuficiência renal. A metformina não deve ser usada em pacientes com insuficiência renal, principalmente se a creatinina estiver acima de 1,5 mg/dl (ou filtração glomerular menor que 50 ml/min). Leia: CREATININA e URÉIA | O que são e como indicam doença dos rins para entender melhor o que é creatinina.

    PACIENTES COM DOENÇA HEPÁTICA(FÍGADO) GRAVE TAMBÉM NÃO DEVEM TOMAR METFORMINA

    Efeitos colaterais da metformina :

    A metformina é uma droga geralmente bem tolerada, principalmente se for respeitada a contraindicação para insuficientes renais. Entre os efeitos colaterais mais comuns estão a diarreia, náuseas e o gosto metálico na boca.

    A acidose láctica (aumento do ácido láctico no sangue) é uma complicação rara, mas grave, que ocorre geralmente em pacientes com insuficiência renal avançada que permanecem usando a metformina.

    A hipoglicemia (baixa de glicose no sangue), efeito colateral comum dos outros hipoglicemiantes orais e da insulina, é rara com a metformina.

    Como tomar a metformina

    A metformina é vendida em comprimidos de 500mg, 850mg e 1000mg. O comprimido é geralmente tomado 2 ou 3x por dia e a dose máxima recomendada é 2550 mg/dia. Já existem formulações de liberação lenta que podem ser tomadas apenas 1x por dia. A metformina deve ser tomada junto às refeições e o comprimido deve ser engolido por inteiro, evitando parti-lo ou mastigá-lo.

  • Muito completa a sua explicação, tenho um retorno ao medico no próximo mês e quero ver se com os novos resultados de meus exames eu volte a usar a metformina. Muito obrigado pela sua atenção.

  • um prazer poder ajudar . O mais importante para a nossa Comunidade é a participaçao de voces , que ao perguntar, dao a oportunidade de mais pessoas cada vez mais conhecerem melhor.

You may also like...